Valorizamos Profissionais
Desfrute de vantagens únicas Seja Associado

Rogério Fernandes Ferreira, Prof. Doutor

Presidente do Centro de Estudos – Rogério Fernandes Ferreira, Prof. Doutor

ROGÉRIO FERNANDES FERREIRA: UMA LEGENDA DA CONTABILIDADE EM PORTUGAL

Por Manuel Benavente

O nome do Professor Rogério Fernandes Ferreira está presente na minha memória desde os fins de 60, embora fosse já nos anos 70 com o anteprojecto do Plano Geral de Contabilidade que convivesse quotidianamente por via do exercício da profissão com as suas concepções.

Homem de afectos, porém acima de tudo homem da Contabilidade, foi percursor de um equilíbrio que procura estruturar no seu próprio discurso, intencionalmente neutro e equidistante, mas dinâmico em relação ao objecto da sua análise, o qual nos procura mostrar sob uma infinidade de prismas.

Isto para dizer que desde aquela data, passando pela formação na APOTEC, pelos livros e artigos que escreveu ao longo dos anos, até à semana passada no Diário de Notícias, tem sido companheiro inseparável na estante, onde abala as minhas poucas certezas com a dúvida, a eterna dúvida, sem a qual o mundo não pula, e muito menos avança.
Esta é uma qualidade do homem da Contabilidade, é evidente, mas do homem da Cultura, profundamente reflectido e lúcido, sobretudo.

Rogério Fernandes Ferreira nasceu em S. Clemente, freguesia de Loulé a 27 de Junho de 1929, sendo filho de Elói da Piedade Ferreira e de Benvinda Fernandes.
Fez a escola primária em Loulé, onde após o exame foi admitido no liceu, alcançando o 2.º lugar entre cerca de trezentos alunos.

Sendo de origens humildes, um amigo da família - Major Olival - tentou que fosse estudar para a capital do distrito, mas Faro era muito longe para as posses familiares. Continua assim em Loulé, abandonando os estudos até aos quinze anos, e é em Loulé que recorda ainda a figura do poeta António Aleixo.

Entretanto aos treze anos, falece a mãe e o pai emigra para a Argentina, começando ele a trabalhar na secção de Despacho da EVA-Empresa de Viação Algarve.
Aos quinze anos vai viver em Setúbal em casa de uma tia, onde a par do trabalho - entre outros, numa mercearia - prossegue os estudos, terminando em 1947 o curso da Escola Comercial e Industrial João Vaz com a mais alta classificação - 18 valores.

Frequenta depois o Instituto Comercial de Lisboa e em 1949 ingressa no Instituto Superior de Ciências Económicas e Financeiras, cujo curso termina em 1954 com a classificação de 15 valores e sempre na condição de aluno trabalhador.
Neste espaço de tempo trabalhou na Câmara Municipal de Lisboa e cumpriu o serviço militar na Escola Prática de Administração Militar.

Vem depois o trabalho no Grupo CUF e a publicação do primeiro livro - Exercícios de Contabilidade Aplicada, 1958 -, sendo assistente no Instituto Superior de Ciências Económicas e Financeiras.
A par da escrita e da docência universitária, completa a licenciatura em Direito na Faculdade de Direito de Lisboa em 1966.

Do respectivo Livro de Curso permito-me retirar a seguinte quadra:

"Contabilidades, finanças, economias...
Impostos, incidências, isenções...
- Eram estas as suas precedências,
Juntem-se-lhe ao processo as petições"

Nome prestigiado em Portugal e no estrangeiro é membro de um sem número de organizações internacionais, estando o seu curriculo repleto de títulos como o de primeiro Presidente da Comissão de Normalização Contabilística de Portugal, membro da última Comissão para a Revisão do IRS (1997), etc., etc.

Em 1972 criou a firma de consultores de gestão Rogério Fernandes Ferreira, Associados Lda.
Doutorado em Gestão pelo Instituto Superior de Economia e Gestão, é marido de D. Maria Manuela - sua ex-aluna - e pai de Maria Leonor, Rogério Manuel e Maria Rita.
Ocupa os seus tempos livres lendo, jogando pingue-pongue e praticando natação, sendo um exímio nadador.

Desde sempre grande amigo da APOTEC, colabora com a simplicidade e disponibilidade que só os invulgares são capazes de oferecer.
O Professor Rogério Fernandes Ferreira, nosso Presidente do Centro de Estudos de História da Contabilidade, tem sempre tempo(?), para fazer uma reunião, escrever um artigo, dar e pedir uma opinião.

Pessoa de tão grande sapiência quanta humildade, guarda ainda dentro de si a suficiente magia para se interrogar sobre o grande mistério das pequenas coisas.
Eis Rogério Fernandes Ferreira, como se diz em titulo uma legenda da Contabilidade em Portugal.
Talvez, porque também foi capaz de fazer a ponte, entre a Contabilidade que somos nós, rumo ao inferno que nós somos.

 Publicações

 Comunicações