Valorizamos Profissionais
Desfrute de vantagens únicas Seja Associado

Pequena História da Contabilidade

1ª Edição  - 1979  - APOTEC -Associação Portuguesa de Técnicos de Contabilidade

 

Título: PEQUENA HISTÓRIA DA CONTABILIDADE

Autor: Martim Noel Monteiro

Prefácio da 2ª edição: Prof. Doutor Rogério Fernandes Ferreira

Copyright by: Europress 2004, para esta edição

Revisão: Isabel Cipriano e

               Maurício, Correia & Asssociados

               Optimização Administrativa, Lda

Preço: € 6,80 (IVA e portes incluídos)



“Onde nasceu a contabilidade, quando e como?
Muita gente que não sabe bem o que é a contabilidade terá ouvido dizer, ou pelo menos julgado perceber, que ela foi inventada por um homem chamado Luca Pacioli. Mas ninguém pode crer que o primeiro tratadista de contabilidade tenha de ser forçosamente o seu inventor, pois quando muito será o seu primeiro expositor.
Desde quando existe a contabilidade?
A vida económica do homem primitivo terá feito aparecer o que hoje chamamos o objecto da contabilidade, quer o confinemos no património, ou massa de bens administráveis, quer o alarguemos a toda a sistematologia económica.
E quanto à origem da parte instrumental da contabilidade, do seu método e dos seus meios de expressão?
Antes dos processos de registo e de toda e qualquer mnemotécnica, o homem deve ter aprendido a contar.
Logo que a contagem se aplica aos bens económicos está-se na presença dos primeiros registos contabilísticos.
E porquê contabilísticos?
A conta tem um objecto, um conteúdo, e tem uma forma. Esta última é-lhe dada pelo próprio registo.
No fundo, trata-se apenas de uma diferença de meios materiais, pois que todos constituem mnemotécnicas contabilísticas quando o seu objecto o seja.
A contabilidade adquiriu a sua consagração científica com a elevação ao ensino superior, (…) onde é ensinada em conjunto com outras ciências económico-sociais, nomeadamente com a Economia e o Direito, muito estranho parecendo que ainda haja, entre os próprios mestres que ensinam em tais escolas, quem duvide, ou negue mesmo, o seu carácter científico.
O objecto da Contabilidade é, pois, o património, e ela própria a ciência dos fenómenos patrimoniais.
A Contabilidade é, como todas as ciências uma ciência relativa – não só porque trata de conhecer um aspecto particular da realidade económica, que é uma parte da realidade social, e esta da realidade humana, e esta ainda, da realidade em geral, como, também, porque, constituindo uma parte do conhecimento humano, está relacionada com e interdependente de outras ciências particulares, afins ou subsidiárias, como a matemática, a economia, o direito, a administração, a estatística, as finanças, as ciências tecnológicas, etc.

(da obra)”